Um site que não é lá.

Resenha | X-Men – Primeira Classe

1

Bom, pra começar essa análise eu tenho que dizer uma coisa antes: Eu fui alfabetizado com histórias em quadrinhos, toda adaptação do gênero gera uma grande expectativa em mim, sempre esperando um roteiro espetacular e boas caracterizações. O último filme da franquia X-Men não agradou a crítica a pesar de até ter sido sucesso de bilheteria, o que gerou uma desconfiança por parte do estúdio (no caso a Fox), que pisou no freio nesse novo filme. Depois de contar a origem de Wolverine, o personagem preferido de 9 entre 10 fãs, a onda do filme anterior de fazer uma “prequel” continua. Em X-Men: Primeira Classe somos apresentados a criação do grupo e aos jovens Charles Xavier e Erik Lehnsherr, que no futuro se tornam Professor X e Magneto. O filme se passa na década de 60, em plena guerra fria e é ai que está o trunfo da boa trama, os personagens estão diretamente ligados ao conflito entre Estados Unidos e União Soviética, e dá se início ao preconceito contra os mutantes que vemos nos filmes anteriores. Tudo é novo pros personagens no filme, ninguém sabe a origem dessa mutação genética, quantos são e nem mesmo se existiam outros.  O longa é cheio de ação, com boas cenas e algumas boas piadinhas que só os fãs de quadrinhos vão sacar e curtir. Os personagens não são muito bem construídos, sem muita profundidade (a exceção do Magneto) sem história e sem grandes motivações, o que é um ponto fraco já que a história é muito bacana e merecia personagens mais tridimensionais. Alguns são colocados ali meramente pra dar show e fazer exibição, gerando aquelas cenas fortes que todo mundo diz: “wooooooow, que maneiro”. O fracasso de crítica de X-Men Origens: Wolverine trouxe uma coisa de ruim pro novo filme. O orçamento não foi “ilimitado” como em filmes do gênero, então temos alguns efeitos bem toscos tipo aqueles que a gente vê em seriados sabe? Decepcionou pros fãs do gênero que ficaram acostumados com a qualidade técnica dos últimos anos com Homem de Ferro, o recente Thor e até mesmo os X-Men anteriores. Um detalhe negativo quanto ao roteiro (só pros fãs de quadrinhos) é o fato de como os aspectos cronológicos são ignorados, mas isso é uma opção da adaptação que já vem desde o primeiro filme, então não é espanto pra ninguém. O roteiro preenche algumas lacunas dos filmes que vieram antes, como personagens se conheceram e como se tornaram tão íntimos. O longa é dirigido por Matthew Vaughn, que ganhou notoriedade depois de dirigir a também adaptação de quadrinhos: Kick Ass – Quebrando tudo, e tem na produção o velho Stan Lee, criador dos personagens e foi escrito por Brian Singer, que dirigiu os dois primeiros filmes da franquia e também o último filme do Superman. No elenco James McAvoy como Professor Xavier, Michael Fassbender como Magneto e Kevin Bacon como o vilão Sebastian Shaw são os atores de maior destaque no longa. Em geral é um ótimo filme de ação, que vai agradar aos apreciadores do gênero, com um roteiro bem construído e totalmente inserido no mundo real (tirando o fato dos super poderes é claro). Assista sem medo e se você é fã de quadrinhos vai ser mais divertido ainda notar os detalhes que só a gente vai sacar.

  • Concordo muito com você. X-Men:First Class é um ótimo filme. Com certeza um dos melhores que eu já vi esse ano.
    A forma como a história do Erick (Magneto) foi mostrada tão bem, de uma forma tão perto de quem tava assistindo que eu realmente não sabia pro que torcer na cena final!
    Aliás, o filme todo parece ter o clima de conflito e dualidade da Guerra Fria, né? Dá pra entender se você olhar qnd os quadrinhos foram lançados.
    http://caixasdepandoras.blogspot.com/2011/06/x-men-primeira-classe.html