Um site que não é lá.

GC 71 | Como é bom viajar

84

Arrume as malas, recline-se na cadeira e ouça nossas desventuras durante a sua viagem.

Preparar-se para uma viagem é sempre um momento muito aguardado na vida de qualquer um. Quem não gosta de se perder no sertão da Bahia, ser ameaçado de morte em uma colônia de férias ou tomar uma mordida de cavalo em uma viagem ao exterior. Allan Pollar, GuiBaldi, JS Neto, Luiz Sussi Oliver Perez se reúnem mais uma vez para contar histórias de outras viagens.

Vitrine: Guilherme Baldi

 SEJA PATRONO DO GRANDE COISA! 

Patronos do Grande Coisa: Felipe Stoker | Fabio Kiss | Mirian Giuliana | Eduardo Shimonte | Daniel Rossi

SAIBA NESTE EPISÓDIO

  • Qual uma das regras não escritas da vida sobre lotação de veículos de passeio;
  • Como conversar com um americano sem sequer falar inglês;
  • Como congelar suas mãos de maneira eficiente;
  • Como fazer bulling com retirantes durante a chuva;

 

BAIXE O .ZIP DESTE EPISÓDIO ASSINE O FEED DO GRANDE COISA ASSINE PELO ITUNES

MANDE UM E-MAIL CURTA A FANPAGE PARTICIPE DO GRUPO ASSINE O CANAL SIGA NO TWITTER

  • Rafael Joaquim Alves

    Só se for pra Porto Seguro.

  • Ainda to ouvindo, que salada o trecho de BLUMENAU hein heheh, como cidadão Blumenauense sou obrigado a esclarecer alguns pontos:

    1 – O dialeto que vocês falam é pra quem fala alemão, quem fala português fala português caraio kkkk, alguns tem sotaque puxado do alemão, mas não se fala outro dialeto aqui não.

    2 – “Eu não ouvi isso na Capital”: imagino que estavam falando de Floripa, pois bem, em Floripa realmente você não vai ouvir ninguém falando alemão realmente, lá a colonização é açoriana (Portugal + Açores), então o sotaque lá é o manézinho da ilha, pensem no Guga falando, é aquilo.

    3 – Sobre a polícia educada: Acho que vocês deram muita sorte, porque normalmente a parada não é tão de boas assim com a polícia. Posso dizer que no geral ainda dá pra andar tranquilo na rua, mas não dá pra bobiar nem aqui não e por conta disso a polícia vem forte sim, não é tranquilo não.

    4 – Sobre as mulheres: tem um amigo meu que veio de Campinas pra cá, e ele me falou “Cara, aqui em Blumenau até as feias são bonitas” haha, pra ver como é nível da coisa, realmente é uma terra abençoada pelos genes germânicos.

    5 – Anexo um carro da polícia de SC, chorem!

    • Muito obrigado por esclarecer algumas coisas!!! eu amo seu estado!

      • Imagina cara, quando estiver por aqui ou quando quiser vir, passa um fio ai que a gente sai pra tomar um chop e conversar!!

        Ps: Convite válido a todos os Coisos!

    • Inclusive vi pouca polícia onde fiquei em Floripa.

    • Ja tomei dura foda de policia de SC, mas também….. fui parado eu, meu irmão e um amigo voltando da balada com a bunda descoberta pra fora da janela, alias, pensando bem, não foram tão duros assim, pois não fui preso nem perdi a virgindade do anus.

  • Whatsapp do Costinha

    Vocês, relamente, viajam

    • 90% das vezes é trabalhando.

  • Whatsapp do Costinha

    Já se por onde o Sussi NÃO passa em Sorocaba: A Wobben Windpower. Se passasse, às 23:00, saberia o que é ficar 15 minutos PARADO numa rotatória esperando um treminhão, carregando UMA ÚNICA PÁ de catavento. Fora toda a escolta do veículo

  • Travesti Completão – Evolução

    Otimo podcast 🙂
    Coloca no Patreon para pagar umas viagens para vocês, eu não ajudaria mas vai saber né hahaha

    • Miga, o Patreon não é pra gente ostentar não… ainda.

      • Travesti Completão – Evolução

        “ainda” ahhahahah… é para “manutenção dos temas”… totalmente justificável

        • Consultarei o depto. Jurídico.

  • @anaelisabacon

    já tive a oportunidade de ir pra NY e realmente é INCRÍVEL. Quem puder ir, jamais deixe de fazê-lo. Eu sou o tipo de pessoa que basicamente trabalha só pra juntar grana pra conseguir viajar um pouco. Consigo todo ano pelo menos dar um rolê legalzinho, em troca de um ano inteiro usando o mesmo tênis e as mesmas roupas hahaha #prioridades.

    Um dos lugares mais legais que eu já estive foi Ilhas Canárias (dêem um google), são paisagens INCRÍVEIS cara, do tipo que você não acredita que está bem ali diante dos seus olhos. Subimos até o topo de um vulcão e sem querer esquecemos uma lasanha no forno do hotel e quase incendiamos o quarto. Essas coisas que brasileiros fazem.

    O Marrocos foi o lugar mais diferente que eu já fui, realmente a cultura e as pessoas são muuuito diferentes da nossa. Andei de camelo no deserto, fiz uma trilha no interior do pais e tive que passar por pontes sobre rios selvagens que não tinham “corrimão” e confesso que dei aquela arrependida de leve “que que eu tô fazendo aqui?”

    Enfim, eu amo viajar, esse ano infelizmente não pude por conta de uma operação no nariz, o que por um lado foi bom já que consegui juntar um pouco a mais e ano que vem se der tudo certo irei pra Los Angeles (outro lugar que me parece ser AWESOME).

    E finalizando, adoro o podcast mas nunca comentei. É o podcast com as vozes mais aveludadas da podosfera. Muito bacana, continuem sempre assim 😉
    Beijas.

    • Oliver Perez

      Brigadúúú

    • Brigadao

    • UHauhauhauha vozes aveludadas, aí eu gostei. NY é demais mesmo, mas você é muito mais viajada que eu, Marrocos não é para amadores.

  • Que massa a história do Guizão em NY, ri pra caramba aqui, muito bom mesmo!!!!!

    • Cara, voltei para o Brasil querendo ficar por lá.

      • Te entendo, fui pra Orlando, também conhecido como Brasil-2 e já não queria mais voltar.

  • Wellington Braz Leandro

    Muito bom esse episódio do GC.

    Me lembrei que passei 2 anos viajando para a casa da minha esposa enquanto namorava com ela, pois como moro no interior de PE e ela morava na capital (Recife), sempre todo fim de semana ia a casa dela.

    Eu vi de tudo nos ônibus, velhos tendo infartos, vomitando, se mijando, crianças chorando, correndo, revista da Policia Rodoviária Federal e ainda acharam drogas na mala de um cara. Mas o pior de tudo foi minha 1ª vez que fui a casa da minha esposa no carnaval de 2013. Como nunca tinha tido uma viajem só, marquei com ela de nós encontrar-mos no Shopping Boa Vista, mas acabei pegando o ônibus que ia ao Boa Viajem. A merda já começou ai.

    Ao chegar na casa da futura sogra, a primeira frase dela é, “você vai passar quantos dias aqui? Pela mala que trouxe acho que vai morar”. O pior de tudo é que ela ama a casa dela acima de tudo e a única coisa que deixava ela feliz era elogiando a casa dela, mas o futuro reservava ao lindo para mim. Como eu estava na casa de estranhos, meu organismo não consegue responder a isso e trava, passando os 4 dias de carnaval sem ir ao banheiro, mas na ultima noite eu dei a carga toda. Desci até o banheiro de visitas que fica no térreo perto da piscina para que ninguém ouvisse minha bela cagada de 4 dias. Só fiz baixar a calça e comecei a cagar sem olhar se tinha papel ou não e como sou um humano isso sempre acontece, nada de papel. Começou meu desespero, tinha deixado meu celular no quarto e já era mais de meia noite, minha única saída foi me limpar com a toalha de rosto que tinha no banheiro. Que desgraça.

    Na manhã seguinte me preparando e arrumando as malas para voltar, me acontece o pior que não deveria, o trinco da porta emperrou e não abria mais, fiquei trancado na porra do quarto e como estava em construção a parte do 3º andar, e sogra teve de chamar um dos pedreiros para ter que quebrar a parede da casa e abrir a porta. Imagina ter que quebrar o que você mais ama.
    Pois é pessoal depois dessa voltei para casa e hoje minha sogra me ama como se fosse um filho.

    Vlw pelo cast pessoal e vida longa e prospera a todos.
    Abraços.

    • Cagar na casa da sogra é um pulo de fé no mundo da confiança, que bom que você conseguiu. Fique sempre a dica de checar a trinca PAPEL, DESCARGA E TAMPA ao entrar em qualquer banheiro.

      • Anderson Cardoso

        Que fii ja caguei em banheiro de boteco no centro, no calor, sem esses 3 elementos ai e de social e antes da entrevista. #Pensa cagar na casa de sogra é a segunda coisa mais tensa.

        • Cagar na rua é osso.

          • Anderson Cardoso

            Isto porque não tem contei como me limpei hahahaha…

  • Guilherme Sansoni

    Muito bom o cast… como sempre… grande coisa… como morei em Natal vislumbrei os locais que o Oliver Perez falou… hahahahah Parabéns Coisos!!!

    • Valeu @guilhermesansoni:disqus! Oliver já foi para todos os lugares.

  • Agatha Gonçalves

    Muitas risadas desse cast hahaha
    Fiquei até com vontade de fazer umas viagens para fora do país com a empolgação do Guizão, mas a pobreza né hahaha

    Acho que a melhor viagem que eu fiz na minha vida, foi quando meus país resolveram sair do interior de SP (onde moro) e dar um role por todo o Paraná e o Mato Grosso para visitar todos (TODOS) os parentes, ficamos praticamente 1 mês fora de casa. E foi indo para o Mato Grosso, para a casa de uns primos que foi a melhor parte da viagem (ou não) e para ficar mais interessante: 1º a estrada era de terra, porque queríamos pegar a balsa, já que nem eu e nem o meu irmão nunca havíamos andando de balsa, 2º os caminhões só passavam por lá, 3º eram 4 pessoas dentro de um uninho e para piorar, 5º começou a chover. Agora imagine um uno, passando em umas valetas gigantes que os caminhões fizeram e derrapando o tempo todo. Uma estrada que normalmente demoraríamos no máximo 2h para fazer, lá se foram 6h, mesmo assim foi muito boa, não me esqueço dessa viagem pois me marcou muito.

    Beeeijoooos

    • Viajar em si já é fera @agatha_gon_alves:disqus, muitas vezes, até uma viagem bosta é melhor que não viajar.

      • Agatha Gonçalves

        haha concordo.

  • Morbeck

    Não sou muito de comentar, mas vim aqui antes mesmo de ouvir, apenas dizer que vocês são foda, se tornaram em pouco tempo um dos podcasts que mais gosto =). Continuem com o excelente trabalho…

    • Ei! Valeu @morbeck:disqus, espalhe sempre a palavra!

  • Guizaum, você ainda se lembra do nome do aplicativo que você usou como mapa em Nova york que você comentou?
    Muito bom o cast, altas risadas enquanto as pessoas olhavam para mim sem entender pq eu estava rindo alto haha

  • tadinha da piquinininha, nem foi creditada no post….

    muito bom esse cast, essa parte que a moça ai fala de cruzar a fronteira aqui eu me identifico muito

    • Muambeiro também.

    • Mirian Giuliana

      Cruzar a fronteira é doido! Lembrei de quando era bem criança e ainda podia comprar cigarro no py. Eu ganhei uma mochila e meu tio comprou vários pacotes, atravessei a fronteira carregada.

      • todo mundo que mora pra esses lados, é contrabandista, nem que for de 1 viagem só…

        eu ja cruzei essa frontei com uma quantia de alcool uma vez, que se pa eu taria até hj na cadeia se me pegassem

  • Augusto Azevedo

    Podia rolar um grupo no facebook só pra discutir sobre o podcast, não? Oq acha?

    Parabéns pelo ótimo trabalho, muito foda!

    • Já tem, mas o pessoal não participa muito não, então conto com você para fazer esse caldo engrossar = ) https://www.facebook.com/groups/136423816565224/?fref=ts

      • Augusto Azevedo

        saquei, joga na postagem do podcast também, no final quando falam das mídias sociais, lembra de falar do grupo também… pq eu ouço alguns outros podcasts que sempre falam do grupo no final do podcast, junto com twitter/fan page, aí sempre dá uma movimentada.

        • Prefiro que venham aqui para movimentar a área de comentários =)

          • Augusto Azevedo

            Claro, mas como eu falei em um comentário, a postagem é boa para comentar sobre o episódio em si, mas o grupo é maneiro para conversas sobre o podcast em geral… então, vamos movimentar os dois!

    • Guilherme Sansoni

      Eu concordo e já faço parte, mas acho que o comentário no post é necessário para a visualização do site se eles tem intenção de montar um midia kit, é uma form de agradecermos o conteúdo que eles produzem…

      • Augusto Azevedo

        Claro, manter ambos, mas acho que no grupo gera um maior conteúdo, pois no post, ficamos na discussão do próprio episódio, já no facebook bodemos abordar o assunto ‘Grande Coisa’ em massa ;]

        • Guilherme Sansoni

          Entra lá então e vamos movimentar!!!

          • Augusto Azevedo

            sim, entrei já

          • Michael J. Fox curtiu isso.

          • Guilherme Sansoni

            Que “HOROOOOOOOOR!!!” @brunogunter:disqus

    • Mirian Giuliana

      Fazemos isso no grupo do whatsapp

  • Um dos episódios mais engraçados 😀 Gostei muito. Viagens pro Rio de Janeiro sempre rendem boas histórias, pode chamar de preconceito, doque for, mas ôôôô povinho zuado o tal do carioca, putchasqueuspariu! Só eu sei o quanto já me incomodei com os cariocas.

    • Zoado? Por quê? O que houve?

      • Todo mundo tem uma rixa com algum estado… se não é com São Paulo, é com o Rio.

        • Eu não tenho rixa com estado nenhum, acho isso bobeira.

      • Nas experiências que tive no rio de janeiro, achei o carioca ruim de trabalho, folgado e gosta de levar vantagem em tudo na malandragem. E não to nem falando de estereótipos não, foram experiências mesmo.

        • Possivelmente você conheceu pessoas de caráter duvidoso. Eu não sou assim, tudo que faço profissionalmente ou não é com carinho e dedicação. Isso vale para a grande maioria das pessoas em minha volta.

          É claro que conheço carioca babaca. Mas babaca nasce em qualquer lugar.

          Mas é a sua opinião baseada em fatos. Fico triste com isso, pois por sermos uma cidade turística, a gente costuma ser hospitaleiro, boa praça e por aí vai. Espero mesmo que essa sua impressão cesse um dia.

          • Ô bixo, relaxa, voce não passa esta imagem não, acompanho uns 2 podcasts que voce participa e nunca me passou essa impressão (tem certeza que você é carioca mesmo? carioca True?! huhahuehuaehueahu) mas que nem falei, esta foi uma impressão geral dos contatos e experiências que tive. Não fique tão preocupado com isso não. bejo do kiss!

          • Não é por mim, mas sim pelo povo daqui. Eu não consigo imaginar que você só tenha conhecido carioca FDP…

            Sério.

            []’s

        • Anderson Cardoso

          Concordo em partes com essas afirmação. Trabalhei por pouco mais de 2 anos em uma empresa carioca, e realmente a maior parte deles são sim bem preguiçosos, folgados e se acham muito. Torcia sempre para não ter que implantar com nenhum deles.
          Ainda bem que nesse tempo tive que ficar pouco no Rio, não consigo suportar a ideia de voltar pra lá pelo motivo que for.

          O Único que “conheço” que foge a regra é o Bruno Gunter.

  • Fabio Jesus (Xessius)

    De fato senhores, este foi um bom podcast, porém tenho um convite: Venham para o Rio de Janeiro para descobrir Rio por trás do “Rio de Janeiro Cenográfico”. Tem muito mais além dos “cartões postais vendidos em bancas”. Eu moro no “suburbio” do Rio e convido vocês a conhecer o Parque de Madureira, o lugar mais democrático que conheci em minha Vida.

    • Isso aí. Madureira um lugar fenomenal. Fui criado na Tijuca o “subúrbio metido a besta” e digo que o Rio é mais do que Pão de Açúcar, Cristo Redentor, Sambódromo e Copacabana.

    • Eu acho que em nenhum momento eu disse nada sobre isso, inclusive me lembro de ter falado justamente que o Rio não era só a orla ou o ~o que a Globo mostra~ até porquê eu nunca fui ao Rio.

      • Fabio Jesus (Xessuis)

        Guizaum, aos 15:30, você cita copacabana como cidade cenografica. Dai vem o convite de conhecer além do eixo mais conhecido da cidade. É como se hoje eu vice São Paulo como Só o Bairro dos Jardins e por conta de novelas, a comunidade de Paraisopoles. Eu fui a sampa e digo que a cidade é muito mais que qualquer tv venha a mostar.

        • Fabio Jesus (Xessuis)

          Entendo que a citação indica o que a TV quer mostrar e não o que achamos ou sabemos. E também acho que sua visão foi até ampla tendo em vista que somos sugestionáveis.

  • Olá Coisos, tudo bem?

    Essa visão do Rio de Janeiro que vocês tiveram é um pouco estereotipada, talvez pela visão propositalmente glamourizada que as novelas da Rede Globo passam. E vou dizer que a maioria dos compatriotas paulistas que conheço, pensam assim. Não vou entrar nesta rixa boba entre Cariocas e Paulistas. Apenas comentarei alguns pontos que posso falar por ser carioca da gema:

    – Nem toda favela é violenta. Essa falácia criada pelos telejornais sensacionalistas é uma praga. É que nem dizer que SP só tem grupo de extermínio. Parem de achar que toda esquina daqui tem assassinatos a cada dia. E como em qualquer grande cidade, há crimes de todos os tipos.

    – O Rio tem muita favela misturada com os bairros? Claro! A geografia daqui é acidentada, existem muitos morros que permitem a construção de favelas. Mas isto não é ruim, na verdade é até interessante. Carioca sabe se misturar com qualquer classe social. Não importa se é rico ou pobre, todos eles tomam uma média na padaria da esquina comendo um pãozinho na chapa. Isso eu nunca vi em outras cidades grandes como Porto Alegre, São Paulo ou Belo Horizonte.

    – As Escolas de Samba em sua maioria são agremiações criadas por moradores de favela! A famosa Unidos da Tijuca é do morro do Borel por exemplo.

    – O Centro Antigo do Rio não pode ter reformulações arquitetônicas. A grande maioria dos prédios são tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional. Não esqueçam que antes de Brasília, o Rio de Janeiro foi capital do Brasil Colonial, depois do Brasil Império, depois da República, munícipio neutro e por fim Distrito Federal. Só com JK que isso mudou. São Paulo neste aspecto pode revitalizar (leiam demolir e reconstruir) o que desejar. Portanto este pensamento de que é tudo “feio”, “velho” e “sujo” é no mínimo inocente. Existem construções com mais de 300 anos aqui no Rio, algumas eram inclusives palácios da antiga Coroa Portuguesa.

    – O Centro tem ruas estreitas? Tem, claro. Mas ao mesmo tempo tem vias gigantes, como a Av. Presidente Vargas que tem 8 pistas ao todo. Então não se deixem enganar pelas vielas criadas em 1700, 1800 que ainda existem.

    – Copacabana ser um bairro cercado de favelas e ser “cenográfico”. Olha, Copa não é o bairro mais bonito mesmo. Na verdade ele é um bairro que foi muito elitizado nos anos 50 e 60 e os jovens da época é que em sua maioria são os os que ainda moram por lá hoje. E é por isso que é um bairro sem graça, de idosos mesmo. Mas muito bonito na Atlântica mesmo. E tem favela? Claro que tem. Todo bairro aqui no Rio tem favela. Mas como foi supracitado isso não é necessariamente ruim.

    – A Barra é um bairro projetado, ele é novo. Por isso que ele é bem diferente do resto do Rio. Tudo é novo e elitizado mesmo. É o bairro emergente.

    – Possivelmente o Bairro que o Sussi ficou na segunda vez foi Vargem Grande, talvez Curicica. Próximo à cidade do Rock e o Rio Centro, onde acontece a Bienal do Livro daqui.

    – O Bairro que tem o contraste da praia com a Rocinha é São Conrado. E a Rocinha por sua vez é uma favela tão grande que virou bairro e chegou na Gávea.

    – O Rio não é só praia. Tem muito bairro bacana que muitos não conhecem. Por exemplo: Santa Tereza, Cosme Velho, Madureira, Maracanã, Vila Isabel e etc.

    Enfim, abram a mente, saiam da concha criada pela mídia idiota e visitem o Rio com calma, sem preconceitos bobos.

    Um abraço a vocês meus caros.

    • @brunogunter:disqus vou dar minha opinião ponto a ponto:

      – Claro que nem toda favela é violenta, muito menos que quando uma favela é violenta é a favela toda, isso tem a ver com a cobertura jornalística, afinal, não temos como conhecer todos os lugares do Rio sem morar ou estar aí. E eu posso ter achado isso quando era mais moleque, porém não acho mais. Inclusive acho que o Rio de Janeiro no quesito violência nunca esteve entre as mais violentas do Brasil. Muito do que é negativo e positivo do Rio se destaca muito até porque é, de longe, a capital que mais recebe turista no Brasil e uma das maiores do mundo.

      – Em Porto Alegre o pessoal não sem mistura nem com quem não é gaúcho. Acho que essa mistura de “favela com bairros” é justamente o que as pessoas querem dizer quando falam que tirando a parte da novela, o resto é um favelão.

      – Nem lembro de falarmos de escolas de samba. Eu gosto das manifestações populares, mas particularmente cago para o Carnaval.

      – Claro que o Centro Antigo é tombado, inclusive é por isso que o Sussi falou que é muito legal conhecer até pelo caráter arquitetônico, mas todo centro velho é zoado, convenhamos. Aqui em Brasília, que apesar de ser praticamente toda tombada tem uns lugares que você fala “que lugar zoado” e não perde o seu valor por isso.

      – Ruas estreitas também é característica de centro velho, porque era pra passar carroça. Vai depender muito de onde você passou/ficou enquanto esteve por lá.

      – Barra eu não conheço, na verdade só conheço o Rio por foto.

      – Não sei onde o Sussi ficou, só sei que é perigoso lavar louça por lá.

      – O Rio não tem só praia é um pouco do amor pela cidade falando também, é claro que o Rio não tem só praia, nenhuma cidade praiana tem só praia. Mas convenhamos que 80% das pessoas que viajam ao Rio como turistas, não vão lá pra ver a escadaria Selaron e pronto. Não desmereça as praias do Rio, elas são o principal cartão postal da cidade junto dos monumentos.

      Eu trabalho com as redes sociais do Ministério do Turismo e vejo muito carinho com que os turistas tratam o Rio de Janeiro, isso não é só por conta de praias é por todo o conjunto da obra que tornam a cidade realmente maravilhosa. Muito é implicância paulista também, talvez até um pouco de inveja. No instagram do ministério por exemplo, se deixar só tem foto de 3 lugares, nessa ordem: Rio de Janeiro, Bonito e Lençóis Maranhenses. Quanto mais eu vejo, mais que quero visitar. Falamos sério que quando as pessoas falam de Brasil, quase sempre estão falando do Rio de Janeiro.

      • Eu não tinha terminado de ouvir antes de comentar, as escolas de samba foi apenas um exemplo de como a favela não é um lugar exclusivo para bandido. Agora terminei de ouvir o cast e fecho meu comentário.

        ***

        E Guizaum, NY é demais mesmo. Em 2013 eu fui para lá e posso dizer que é um lugar animal mesmo. Das cidades dos EUA que conheci foi a que mais gostei disparado. E ó, vou te dizer uma coisa: em uma próxima oportunidade alugue um apartamento. Hotel lá é um desperdício.

        Sobre os outlets da Florida (Miami e Orlando) eles não são tão bons em questão de qualidade, apenas em preço. Mas como Orlando é o Brasil nos EUA, é como ir no Saara no centro do Rio ou na 25 de Março em Sampa. E estas lojas da Lego, M&M, Disney e cia você acha em qualquer ponto turístico mega capitalista. Até em Londres e Paris tem.

        ***

        E se você tiver vontade de visitar uma cidade mais magnífica que NY vá a Londres. Estive lá em 2014 e vou dizer que achava NY a cidade mais maneira que tem. Ledo engano, tudo que você achou bom lá é multiplicado pelo charme britânico. O museu de História Natural de lá é algo do outro mundo, parece um parque temático. O museu do Churchill é simplesmente fora de série para quem curte a História da Segunda Guerra Mundial. Sem contar que a comida de Londres…

        Ahhhh aquilo sim é de outro mundo. Tem um mercado medieval (SIM! MEDIEVAL) chamado Borough Market que tem barraquinhas de diversos lugares da Inglaterra e é claro de outros países da Europa. Lá você come comida Italiana, Alemã, Grega, Irlandesa e etc. Quem curte um tour de encher a pança TEM QUE CONHECER. Sem contar almoçar em pubs centenários ou comer um Fish and Chips de rua mesmo.

        Ah sim, os teatros de Londres são tão bons quanto os da Broadway, só parada alto nível. Assisti a “Fantástica Fábrica de Chocolate” e sai feliz da vida. E sem contar as visitas medievais como castelos, torres, prisões, mercados, catedrais e por aí vai.

        E pô, Londres cara! Lá é o epicentro do Rock! Rolling Stones, Beatles, Led e etc..

        Tem muita coisa relacionada filmes e Doctor Who para caraca na rua. Tem diversas Tardis espalhadas por toda a cidade e uma loja de um fanático em West Ham que tem de tudo, incluindo peças originais da série. Recomendo uma manhã nesta loja.

        E o mais genial que lá você anda a cidade TODA de metrô (chamado por lá de Underground que eles cultuam, de verdade tem até lojas temáticas). O sistema é assustador de início, mas depois que você pega o paranauê das coisas (tem um app gratuito chamado tub planner que faz tudo sozinho) a coisa se torna orgânica. Dá até pena de andar de metrô aqui no Rio e São Paulo depois de conhece-lo.

        Saindo de Londres você pode andar de trem para cidades vizinhas, como Bath e ver construções romanas ou simplesmente dar um pulo em uma das contruções mais antigas
        do mundo: O stonehenge, que fica mais ao sul.

        Para quem curte futebol, vale visitar alguns estádios como Winbledom ou até mesmo estádio do West Ham que apesar de pequeno é muito bonito.

        Tem também as atrações turísticas como a London Eye (aquela roda-gigante gigante), o Aquário, dezenas de museus megalovaxfodas tão grandes quanto os de NY, “museus” que são na verdade atrações como o do Sherlock Holmes, Museu de Cera da Madame Tissue, as masmorras, troca da guarda no palácio de Buckingham e etc. 10 dias lá é pouco. Eu não consegui ver algumas coisas, como o museu de ciência que tem o túmulo do Isaac Newton por exemplo.

        ***

        Ainda na Europa eu recomendo fortemente o País de Gales. Um lugar simplesmente fantástico e agradável. Lá é tudo muito arrumado, limpo e com pessoas realmente educadas. Lá tem um museu/atração chamado Doctor Who Experience, eu que não curto tanto achei demais. mas minha esposa que é fanática ficou horas tirando foto de tudo, olhando, assistindo os filminhos e etc.

        O melhor sorvete que comi até hoje foi em Gales. Numa barraquinha em Cardiff que até hoje eu penso em voltar lá apenas pelo sorvete.

        A curiosidade de Cardiff é que eles são uma cidade 100% ecológica. Então em nenhuma loja de rua ou shopping você consegue sacolas plásticas. E as de papelão são uma fortuna. Portanto se um dia você for fazer compras lá, leve algumas “shop bags” emprestadas do hotel que eles gentilmente cedem. São sacolas muito parecidas com as de feira que vemos aqui no Brasil.

        ***

        Conheço Paris também. Uma cidade charmosa e suja. Mas vou te dizer que curte cinema aquilo ali é o paraíso. Torre Eiffel, Louvre (você é garoto em achar que o museu de HN de NY era grande, experimente visitá-lo um dia, ops em 3 dias). A comida é de outro mundo, vistas simplesmente apaixonantes e tudo muito caro. Paris é o Rio da Europa. Tudo custa MUITO mais.

        Ah sim, na França tem parques temáticos, como sou viciado nos Parques da Disney, tive que visitá-los e vou confessar que me decepcionei DEMAIS. Não chegam perto dos de Orlando. Em compensação o parque do Asterix é muito bom, recomendo demais.

        ***

        E para fechar o pouco que conheci da Europa, o que me mais me encantou é que é um povo feliz e que sabe aproveitar o dia. Todos eles comem literalmente na rua. Existem dezenas de lojas de comida rápida (mas nada de fast food) onde eles pegam aqueles sanduíches feitos no dia e vão até um parque ou meio-fio e simplesmente comem. Aqui no Brasil as pessoas olham feio se alguém bebe uma coca-cola no metrô. Lá isso é natural. Todo mundo tira um sanduba ou quentinha da mochila e come em pé na fila de um museu ou até mesmo banco.

        ***

        E é isso! Forte abraço meu caro!

  • Bruno Trajano

    Programa ótimo de bom, rsk!
    E que maldade ficar rindo da galera de mudança na chuva… agora vamos todos pro inferno…rsk!
    Vocês são demais !!!

    • AHUAuhahua é um riso de “entendo a sua situação”.

  • ozochs

    Daora o episódio e os causos. Miriam falou pouco, que pena… se rolasse o tema do filme férias frustradas ia cair muito bem…rs

    • Ela vai participar mais.

    • Mirian Giuliana

      Não sou tão viajada. Só vou pra Foz do Iguaçu. E nem compro muamba

  • Anderson Cardoso

    Fala coisarada belo episodio hein.

    Porra Guizao, Discount Blocks talvez possa ser o que você queria para “parcelar” a sua enorme divida nos states hahaha…cheguei tarde nos comentarios tem muitos para conferir se alguém já lhe deu a dica.

    Abçs!

  • Vitor Urubatan

    HAHAHAHA! “Se chama Loucura!”

  • Vitor Urubatan

    Esse museu que o Guizão foi. Acho que é o mesmo museu do jogo Parasite Eve do play 1. Que no curva linear da história é o maior cenário do jogo.

    Um dia quando for para lá, sem sombra de dúvidas irei visitar o tal famoso museu.