Um site que não é lá.

Resenha | Como Treinar o Seu Dragão

3

Há um certo tempo que as animações andam sendo produzidas para que, além de alegrarem o público infantil (e na maioria das vezes adulto), também transmitirem alguma mensagem. Grandes estúdios de animação como a Pixar e Dreamworks são campeãs nessa área, sempre fazendo animações que leva qualquer pessoa de “coração de pedra” a se emocionar.

“Como treinar o seu dragão” segue essa mesma fórmula, que busca, na medida do possível, emocionar os espectadores, ainda que de maneira muito caricata e infantil.

O Filme é dirigido e roteirizado por Dean DeBlois e Chris Sanders(ambos já trabalharam na direção de Lilo & Stich) com o roteiro adaptado do livro de Cressida Cowell. Conta ainda com as vozes de Jay Baruchel(Menina de Ouro), Gerard Butler(300, RocknRolla), America Ferrera (Ugly Betty), Jonah Hill (Superbad – É hoje), Christopher Mintz-Plasse(Superbad – É hoje, Kick-Ass) no original.

Soluço é um garoto fraco e desengonçado que sonha em combater dragões como todos os Vikings de sua Ilha. Por ser desajeitado, é desacreditado por todos de que um dia conseguiria combatê-los,  quando em uma noite, no meio de um ataque de dragões à vila, ele consegue pegar o mais temido por todos, conhecido por jamais terem sobrevivido para contar sobre a aparência do chamado “Fúria da Noite”. Com pena de matar o dragão, Soluço o solta no dia seguinte, e com Banguela (nome que ele dá ao dragão) vai aprendendo que tudo o que os habitantes sabiam sobre os dragões estava errado. Aos poucos o garoto vai percebendo o quão companheiro um dragão pode ser e começa a deixar de lado a ideia de ser um “verdadeiro Viking”, o que acaba o colocando contra os princípios dos habitantes da sua vila e principalmente contra os de seu pai.

O filme conta ainda com um incrível trabalho na parte da animação, onde a interpretação dos personagens, por mais que sejam animados, parecem reais. É impossível não simpatizar com  Banguela e Soluço, que levam o filme de maneira simples, porém divertida. As cenas de ação e principalmente as cenas com os voos dos dragões, são feitas com toda a maestria da Dreamworks e vão, sem dúvida nenhuma, deixar qualquer um grudado na cadeira, sendo criança ou adulto.

Sem contar a incrível experiência no 3D, que faz com que você se sinta dentro do filme. Mas se engana quem acha que esse elemento é o que faz o filme ficar interessante. Tanto em 3D como no convencional o que mais impressiona é a história simples, porém bela.

De fato, a Dreamworks  tenta nos mostrar mais uma vez  uma lição: “seja quem você  realmente é”.

Kodoji manda nota 9,0!

  • Junior Batista – Itu-SP

    Eu assisti o filme no cinema com uns amigos e é muito legal. Queria assistir em 3D, mas os ingressos ja tinham esgotado. Abraço e sucesso!

  • Eduardo rurounikz

    Parabés pela resenha Kodoji.

    Complementando o que você disse no seu texto, achei a adaptação do roteiro muito original e o final do filme bem interessante, principalmente a parte final do Banguela com o Soluço.

    Pra mim, a melhor animação da DreamWorks so far… e a Pixar que se cuide.

    Há braços !

  • naahh

    assisti o filme em 3D adoreiiiiiiiiiiii!!!!!!!!a historia é muito interessante e o filme é´bem agitado

    parabens pela resenha ficou otima sem duvida um dos melhores filmes q eu já assisti