Um site que não é lá.

Resenha | D&D 4.0 Livro do Jogador 2 – Parte 1

1
Resenha | D&D 4.0 Livro do Jogador 2 – Parte 1

Quando recebi o livro, quase caí de costas. Fiquei muito feliz, a versão em Inglês eu já tinha e buscava a versão em Português que sabia que acabara de ser lançada.

Sim, estou falando do Livro do Jogador 2, para D&D 4ª edição (ou carinhosamente apelidado de 4.0).
Enfim, vamos a ele.

Especificações Técnicas:

Começando pela capa dura lindaça com verniz localizado, impecável, bopp (que deixa com aquela textura, acetinada) e uma bela impressão.

Detalhe do verniz no livro

As páginas internas não ficam atrás.

São 223 em folhas de alta qualidade e 100% coloridas. Sei que pra quem já teve algum livro do D&D, tudo isso não é novidade nenhuma, pois a

Wizards of the Coast (Devir, no Brasil) mantém um padrão altíssimo de qualidade em qualquer língua em que o livro é publicado.

Enfim, vamos deixar de falar do que ele é pra falar do que tem dentro dele.

O Livro do Jogador 2 é a expansão do Livro do Jogador (que coisa, não!?), um dos 3 Livros básicos para se jogar esse sistema (os outros são o Guia do Mestre e o Manual dos Monstros).

É um livro voltado especialmente para a criação dos personagens, tanto para jogadores, quanto para o mestre.

Preço: R$69,90

Existem uma série de complementos nesse livro, vamos falar de alguns deles.

Novas Raças

Devas

“Espíritos imortais encarnações da virtude, nascidos e renascidos em uma vida mortal no mundo natural”.

Os Devas basicamente eram os servos imortais de deuses bons que resolveram se prender ao mundo de carne.

São seres bons que morrem e renascem, mantendo assim uma memória milenar de tudo o que viveram e vivem.

Ferais

“Esses ferozes herdeiros da selva são a mistura perfeita entre as raças civilizadas e a besta selvagem.”

Os ferais são seres de aparência mais animal, lembrando sua raça base ( ou seja, feio pra p*rra), que no frenezi da batalha se tornam muito mais parecidos com seus ancestrais.

Gnomos

“Esses enganadores ligeiros e furtivos se destacam na Agrestia das Fadas por evitar serem percebidos.”

Essa raça safada já existia na 3ª edição do D&D e volta agora no Livro do Jogador 2. Não se pode negar que se quiser ser um ladino em jogo, é uma das melhores raças a escolher.

Golias

“Nômades tribais das montanhas – fortes como a rocha e orgulhosos como o pico da mais alta montanha.”

That’s what I’m talking about!!!

Das raças que ví no livro, a dos Golias foi a que mais me impressionou, tanto visualmente, quanto de background, por ser uma raça que habita lugares tão “inóspitos”, bem diferentes das raças comuns do livro do jogador.

Meio-Orcs

“Guerreiros temíveis que combinam a determinação dos humanos com a selvageria dos orcs.”

Os Meio-Orcs também estavam presentes na edição anterior do jogo, e agora voltaram, muito mais bonitos por sinal.

São uma raça excelente pra porradaria, já que ganham vários bonus em atributos físicos, e posso dizer com certeza que, assim como um Golias, um Meio-Orc é provavelmente o que vai fazer os inimigos se borrarem, antes de qualquer outra raça.

Esse foi o primeiro de alguns artigos que farei sobre o Livro do Jogador 2.

Espero que tenham gostado e me mandem os seus feedbacks nos comentários.

Ps: Obrigado a Devir por ter cedido o livro ^^.

  • mr. Óbvio

    Muito foda. Esperando os próximos reviews. Sou novo nessa área e não sei o que mudou essencialmente da última versão.