Um site que não é lá.

Resenha | Fringe – Mistério, ficção e ciência sem agredir sua inteligência

6

J.J. Abrams – Introdução a um novo Hype!

Em 2002, depois de 9 anos de atividades, entra para a longa lista de séries de ficção extintas, Arquivo X, que garantiu por grande parte de seu tempo de existência, a boa dose semanal de mistério, terror e investigação. Como muitos programas de televisão do gênero, Arquivo X foi se desgastando de dentro para fora, o que acabou se refletindo em sua audiência. Como conseqüência, o criador da série Chris Carter fez com que seus agentes especiais, Mulder e Scully, pendurassem seus distintivos do FBI.

Não muito depois, a rede emissora estadunidense ABC, em uma tentativa desesperada de revitalizar uma nova atração que sequer saiu do papel, chama para seu novo projeto o diretor e produtor Jeffrey Jacob Abrams, ou como é simplesmente conhecido por aqui e alguns outros pontos do universo, J.J. Abrams.

jjabramsPois é, até então J.J. Abrams emplacara séries como o drama Felicity ou o seriado de espionagem Alias (outros prévios créditos de Abrams incluem o roteiro do filme Armageddon), e os executivos da ABC apostaram em seu olho clínico para dar consultoria em uma nova série, que segundo a descrição dos mesmos, seria um misto de “Náufrago” com o reality show “Survivor”. Depois de passar a borracha em muitas coisas e inserir ingredientes como suspense, mistério e ficção científica, Abrams, em parceria com os produtores e roteiristas Carlton Cuse e Damon Lindelof, deram aos fãs do gênero um dos pontos mais altos do entretenimento televisivo, a série Lost.

Enquanto Lost seguiu bem dado ao pontapé inicial de Abrams, o diretor, produtor, roteirista e afins, se aventurou em outras áreas como a direção de Missão: Impossível III, a produção do filme catástrofe/monstro Cloverfield, assim como também, em seu último e possivelmente maior sucesso, a volta em grande estilo de um dos clássicos da ficção, Star Trek. Depois de um reboot em uma franquia de séries e filmes que em mais de 40 anos conquistou uma legião de fãs devotos, J.J. Abrams provou que seu talento não é limitado pelo gênero, elenco ou roteiro, levando-o a passos largos e fáceis para seu próximo projeto para a telinha, a série Fringe.

A Pseudo Ciência de se fazer séries

Talvez com Lost beirando a uma conclusão, J.J. Abrams se sentiu compelido a uma nova investida para a televisão, e como fruto de sua imaginação e influências de filmes, séries (algumas delas o já comentado Arquivo X e Além da Imaginação, fontes confessas pelo próprio Abrams) e trabalhos anteriores onde esteve presente, surgiu o possível novo hype da televisão, a série Fringe, outra atração apresentada pelos estúdios da Fox.

Fringe, traduzido do inglês como borda ou extremidade, referência da expressão utilizada na série como Fringe Science (Ciência de Borda ou Pseudo Ciência) aborda investigações cujo maior fator de resolução de crimes é a aplicação desta modalidade em campo, onde a linha que divide a ciência e a ficção é demasiadamente tênue.

A série foi ao ar em setembro de 2008, sendo encomendada pela emissora em um pacote de 13 episódios. A resposta imediata do público rendeu a produção mais 7 episódios que concluíram a 1ª temporada em maio deste ano (Aqui no Brasil a série ainda está em processo de exibição, tendo ido ao ar em março nas TVs por assinaturas através da Warner Channel).

Origens, produção e ponto de partida

fringe_scott_dunhamComo Modus Operandi, J.J. Abrams muda o sistema tático da produção, e o golpe de misericórdia não é mais destinado a um final de temporada ou até mesmo para uma conclusão geral: o mesmo é desferido em sua apresentação.

Fringe é introduzido para seus espectadores, de modo visceral, em uma produção de custo exorbitante, mas que, convenhamos, é digna dos grandes clássicos modernos de Hollywood nos cinemas.

Pode parecer brincadeira, mas Abrams novamente dá o chute inicial com um acidente aéreo.

Um vôo vindo de Hamburgo é comprometido em pleno curso pela liberação de um estranho composto em seu interior durante o cumprimento de sua rota, sendo forçado a fazer remotamente um pouso de emergência em Boston (um dos fatores sempre presentes na série é a tecnologia empregada no dia-a-dia estar poucos passos a frente de nossa realidade), onde a unidade local do FBI ao lado da Agência de Segurança Nacional (NSA) realizam uma força tarefa que suspeita de um provável ataque biológico que resultou em um bizarra decomposição instantânea dos corpos dos passageiros e tripulantes. Aceso o pavio, vamos aos demais elementos explosivos da série.

Personagens centrais e interação com roteiro

Agente Federal Olívia Dunham  (Anna Torv)

fringe_olivia_dunhamOlívia Dunham tem a dura tarefa de provar a todos sua real capacidade ao desempenhar suas funções pelo Bureau, e tornar de vez a expressão “Sexo Frágil” obsoleta.

Mesmo não sendo inicialmente selecionada para a incursão no avião onde se sucedeu o terrível ataque, Dunham impõe sua presença na cena do crime diante do agente da NSA, Phillip Broyles, líder da operação, começando a angariar notoriedade perante o mesmo devido sua mistura de teimosia, determinação e competência.

A determinada agente ainda tem um envolvimento amoroso com seu parceiro John Scott, o qual ainda prefere manter por debaixo dos panos (ou lençóis, se preferir), mas um incidente ocorrido durante as investigações põe em cheque a vida de seu amado ao se expor ao mesmo componente mortal liberado no vôo.

Em uma corrida contra o tempo, sua investigação associa as vítimas do vôo 627 de Hamburgo e o agente Scott, com o trabalho realizado há tempos atrás pelo cientista chamado Walter Bishop, o que nos leva ao nosso próximo personagem.

Dr. Walter Bishop (John Noble)

fringe_walter_bishopA tarefa da agente Dunham não fica nada fácil ao descobrir que Walter Bishop está recluso em uma instituição psiquiátrica por cerca de 20 anos.

Durante experimentos questionáveis em um laboratório, um incidente tira a vida de uma de suas assistentes, incidente cujos detalhes jamais foram revelados e que o levam ao seu fatídico destino atual.

O Dr. Bishop é considerado por muitos como um Einstein contemporâneo ostentando um QI de 196.

Durante os anos 70, Walter Bishop trabalhou para os militares no campo da ciência de borda cujos estudos eram voltados para teletransporte, telecinese, precognição e outras esquisitices.

Bishop sofre constantes perdas de memória e lucidez devido a sua longa estadia no hospital psiquiátrico Saint-Claire, mas o mesmo ainda esbanja o seu vasto conhecimento científico e inteligência nos momentos de maior necessidade. Mas, outro grande problema obstrui o caminho de Dunham para salvar seu parceiro e dar um fim ao caso. O acesso a Bishop é restrito somente para membros diretos da família, o que faz a agente viajar para o Iraque, onde se encontra com o terceiro e último componente central do corpo investigativo, o filho de Walter, Peter Bishop.

Peter Bishop (Joshua Jackson)

fringe_peter_bishopPeter, a exemplo de seu pai, também tem intelecto descomunal, apresentando um QI de 190 (50 pontos acima da categoria “gênio”), mas apesar de sua inteligência, sofre com problemas de relacionamento, possivelmente por seu conturbado passado com o pai.

O rapaz leva uma vida nômade devido a sua ampla gama de atividades ilícitas no passado, nunca se apegando a lugares, empregos, amigos, etc.

Já foi professor do MIT (onde a propósito, forjou seu próprio diploma), bombeiro e quando encontrado pela agente Dunham, oferecia serviços de engenharia em Bagdá.

É forçosamente recrutado para a missão sob ameaças de Dunham, que ainda lhe designa a função de tutor de seu próprio pai, para providenciar a saída de Walter Bishop da ala psiquiátrica, o que, nem de longe, soa agradável aos ouvidos do rapaz, que sabe o que vem pela frente ao ter que cuidar de um idoso institucionalizado por 17 anos.

Outra característica interessante do personagem Peter Bishop, é a ponte realizada entre as truncadas teorias de seu pai mentalmente instável e a agente Dunham (que faz as vezes do público da série).

Personagens Secundários

Agente Phillip Broyles (Lance Reddick)

fringe_phillip_broylesBroyles é um agente especial linha dura do Departamento de Segurança Nacional que lidera as investigações em uma célula que opera por dentro do FBI, denominada de Divisão Fringe.

Broyles por muitas vezes foi relutante com relação à inclusão de Olívia Dunham nas operações, já que a agente foi responsável por conduzir investigações que resultaram na prisão de um de seus amigos, que conheceu quando pertencia à marinha americana.

A animosidade existente entre ambos desaparece por completo quando Broyles percebe o desempenho da agente em campo, o que o leva a crer que Olívia Dunham tem as aptidões necessárias para levar a cabo às investigações da Divisão Fringe.

Broyles revela a Dunham a existência desta divisão criada especificamente para lidar com investigações relacionadas com uma série de eventos bizarros denominados como “O Padrão”, do qual se suspeita que o caso ainda em curso do vôo de Hamburgo faça parte.

Broyles sempre sabe mais do que aparenta e tem conexões obscuras com uma mega corporação que domina os campos da tecnologia e estudos científicos avançados: a Massive Dynamic.

Massive Dynamic

fringe_massive_dynamicOk! A corporação Massive Dynamic pode não ser um personagem em carne em osso, mas nem por isso devemos tratá-la de maneira diferente já que durante todo o decorrer da série, a MD é uma sombra em todas as investigações mostrando seus tentáculos em diversos segmentos dentro do campo da pseudociência e que, por muitas vezes, auxilia a divisão Fringe com informações e tecnologia, sem revelar uma possível verdade maior que se esconde sob o fato investigado. O nome de seu fundador, Willian Bell, surge durante inesperadas revelações, saídas dos fragmentos de memória do Dr. Walter Bishop. Bishop e Bell trabalharam juntos no passado em um experimento relacionados ao atentado do vôo 627, o que, claro, fez com que Dunham exigisse a Broyles um encontro entre ela e a diretora da corporação, Nina Sharp.

Nina Sharp (Blair Brown)

fringe_nina_sharpDiretora de uma das mais poderosas corporações da face da terra, a Massive Dynamic, Nina Sharp, se apresenta como uma misteriosa mulher que não hesita em demonstrar toda a extensão de seu poder.

Ajuda de maneira parcial as investigações do FBI, sempre visando a uma possível confluência de interesses no futuro.

Willian Bell, ex-colega de Bishop nos anos 70 e fundador da MD, é um dos alvos de sua mais profunda admiração, resultado de um processo cirúrgico que salvou sua vida, e ainda lhe rendeu um braço biônico com a última palavra em tecnologia.

Charlie Francis (Kirk Acevedo)

fringe_charlie_francisAntes de entrar para a divisão Fringe, depois de John Scott, outro agente que Olivia Dunham mantém contato próximo é Charles Francis, sempre à frente das investigações, e responsável pela coordenação das operações.
Charlie já teve sua vida salva graças aos resultados positivos da divisão Fringe, especialmente pelas pesquisas da família Bishop, fato ocorrido no episódio Unleashed (16º) onde foi infectado por um estranho parasita em uma investigação relacionada ao “Padrão”.

Astrid Fansworth (Jasika Nicole)

fringe_astrid_fansworthJovem e astuta agente do FBI encarregada de auxiliar o Dr. Walter Bishop em suas pesquisas, dona de uma paciência aparentemente inabalável, especialmente nas horas de maior excentricidade do doutor.

Astrid e Bishop realizam suas pesquisas e experimentos em um velho laboratório situado nos porões da universidade de Harvard.

O relacionamento de ambos é o mote dos constantes alívios cômicos da série, onde Bishop a chama de uma vasta variedades de palavras derivadas de seu nome, sem nunca lembrar sua graça ao certo.

Gene

fringe_geneA personagem Gene pertence à classe mammalia, da ordem das Artiodactyla, da família Bovinae, um personagem de peso já que ela chega aos seus discretos 425 quilos. Sim a tradicionalmente chamada Vaca.

A vaca Gene (Provável homenagem a Gene Roddenberry, criador da série Star Trek, com constantes menções na série), foi um dos itens requisitados por Walter Bishop para seu laboratório, para suprimento de amostras de sangue (que segundo Peter Bishop, bovinos e humanos possuem DNA semelhantes) assim como também a dose laticínia diária do velho doutor Bishop.

O Observador (Michael Cerveris)

fringe_observadorEste por sua vez é um dos personagens onde sua identidade, assim como também seu propósito, são por hora, totalmente desconhecidos, depois da constatação de sua presença em outros casos antigos, foi provisoriamente chamado pelos personagens como O Observador.

O pouco que se sabe sobre este estranho ser de aparência humana consta, em sua grande maioria, do quarto episódio intitulado The Arrival. Seus hábitos alimentares são tão bizarros quanto sua misteriosa natureza (Sanduíche de carne crua acompanhado por jalapeños, muita pimenta e um copo d’agua em temperatura ambiente) e é totalmente desprovido de pelos e cabelo.

Nos demais episódios da série, suas aparições limitam-se a apenas aos locais onde houve eventos relacionados ao padrão, e ainda assim ao estilo Alfred Hitchcock (Estou aqui! mas não estou!). Outra possível homenagem na série.

ZTF

Esta por sua vez, não é uma personagem, mas sim, uma célula terrorista liderada aparentemente por David Robert Jones e com operações coordenadas pelo traidor Loeb Mitchell. Seu nome é uma sigla originada da abreviação de palavras em alemão, que significa “A morte da Humanidade vinda da Tecnologia”.

Este é o título de um misterioso manuscrito antigo que já citava os eventos do Padrão. Tal manuscrito é tratado como se fosse uma bíblia por tal organização.
Mais tarde vem à tona que o Dr. Walter Bishop tem ligações estreitas com tal livro, e que os criminosos o usam com uma certa página faltante, a da Ética!

John Scott (Mark Valley)

fringe_john_scottE por último, mas não menos importante (mesmo depois da vaquinha Gene), o agente Federal John Scott, parceiro e interesse amoroso de Olivia Dunham. Após ser salvo por outra bem sucedida incursão da divisão Fringe, descobre-se que Scott tinha interesses dúbios nas ações do FBI. Aparentemente, John Scott conduzia muitas investigações por conta própria o que lhe garantia a frente nos casos com o FBI. John Scott, após sua melhora, mata uns dos suspeitos do caso do vôo 627 internado na mesma ala hospitalar e morre durante fuga entre ele e sua amada Olivia Dunham.

O Elenco

Obviamente que uma série bem sucedida na telinha precisa ter uma boa química fora dela, o que nos leva a falar brevemente do elenco que compõe os personagens chave da série: o trio Anna Torv, John Noble e Joshua Jackson.

Anna Torv (Agente Olivia Dunham)

A linda, esguia e obstinada Olivia Dunhan é personificada pela australiana de 31 anos Anna Torv que vem batalhando neste mercado desde 2002 onde debutou em uma pequeno papel na série compatriota chamada White Collar Blue.

Hoje o nome da atriz consta na produção The Pacific, mini-série dos mesmo produtores de Band of Brothers, em uma história que conta a batalha do pacífico entre americanos e japoneses na 2ª guerra mundial.

John Noble (Dr. Walter Bishop)

O veterano de 61 anos, John Noble, responsável pelo excêntrico Dr. Walter Bishop, também é australiano e já atuou em inúmeras séries, filmes para televisão e cinema.

Noble atuou em quatro episódios da série australiana Young Lions, onde a acima citada Anna Torv também participou em 22 episódios.

As séries de maior destaque, onde Noble fora incluído no elenco, foram Stargate SG1, a sexta temporada de 24 horas (2 eps.), The Unit e outras centenas de pequenas participações em produções televisivas.

Já nos cinemas, os maiores destaques foram nos filmes Um Crime de Mestre, com Anthony Hopkins e Ryan Gosling, e na conclusão da saga O Senhor dos Anéis, em O Retorno do Rei de 2003, um dos pontos altos em sua carreira no papel do personagem Denethor, regente de Gondor, pai de Faramir e Boromir.

Joshua Jackson (Peter Bishop)

O ator nascido no Canadá, Joshua Jackson, já é um rosto conhecido de muitas outras produções para TV e cinema.

Jackson participou de longas como Nós Somos Campeões, Pânico 2, O Aprendiz, Amaldiçoados, Intrigas, Sociedade Secreta, Lenda Urbana, Imagens do Além (remake que tem uma versão original asiática intitulada Espíritos) e até tentou faturar o papel de Bruce Wayne em Batman Begins que, como todos sabem, ficou para o ator Christian Bale.

Apesar de muitas participações em atrações teen holywoodianas, o que lhe garantiu maior destaque foi o personagem Pacey Witter na série dramática Dawson’s Creek rendendo 6 temporadas indo ao ar a partir do ano de 1998.

Depois de arcar com muitas produções regulares, Joshua Jackson volta a ser destaque em sua ótima performance na série Fringe, que já faturou o segundo lugar de audiência na TV americana.

Fringe e Arquivos X: semelhantes, mas não iguais

Às vésperas de sua estréia nas telinhas, Fringe chegava às noticias de mansinho, já associada à fama de seu criador, e ao mesmo tempo padrinho, J.J. Abrams. Mas um fator que mantinha um certo nível de desconforto entre os produtores eram as notas comparativas, onde ouviam, viam e liam coisas como “O Novo Arquivo X vem aí”.

Após a bem sucedida exibição do piloto, onde a premissa da série foi amplamente divulgada, foi inevitável a comparação. Uma partição do FBI destinada a investigar fatos inexplicáveis e estranhos? Espere aí! Isso eu já vi! Arquivo X!

Mas ao ser analisada friamente, especialmente depois de seu segundo episódio, fica claro que as diferenças entre estas duas séries se ressaltam a ponto de ficarem nitidamente óbvias demais. Vamos aos fatos!

arquivoxEm Arquivo X, seu criador Chris Carter, determinou que a maior parte do tempo os agentes Mulder e Scully atuassem em completa discrição para evitar a fiscalização do próprio FBI, que eventualmente teria uma postura relutante em aplicar verbas vindas do contribuinte em caçadas ao impossível ou do fruto da mente doentia de um agente que sofria com visões de sua irmã sendo abduzida por forças extraterrestres.

Em Fringe isso não se sucede da mesma maneira. O FBI não só patrocina, mas como também cria uma divisão especificamente para lidar com tais fatos estranho. Nos anos 90 a premissa de Arquivo X foi de muito interesse, mas o foco dado a Fringe garante muito mais dinâmica ao desenrolar da trama.

O segundo ponto é um pouco relacionado com a questão anterior. Os Arquivos X nem sempre forneciam a tão esperada resolução do caso ou angariavam alguma evidência que comprovasse suas alegadas conspirações, provável fator de o FBI sempre estarem no pé de Mulder e Scully. Em Fringe, os casos são explícitos, os ataques e bizarrices da série são realizados no intuito de impor terror da maneira mais assustadora possível, o que consequentemente, deixa rastros e toneladas de evidências. A resolução dos crimes é tratada pela produção como “estrela do episódio”, já que sempre envolve a sagacidade da família Bishop no quesito esquisitice, o que garante uma bem sucedida conclusão de investigação.

fringe_dunham_bishopsO terceiro ponto, Chris Carter fez com que agentes de diferentes modos de pensar trabalhassem juntos, sendo Mulder crédulo em todo caso bizarro que chegava às suas mãos, enquanto Scully era a agente perita em ciência forense, racional, cética e pé no chão que sempre refutava as estranhas teorias de seu parceiro com fatos referentes reais e ciência convencional. No caso de Fringe, fato, é o que a ciência pode comprovar, o que na mão do pai e filho Bishop, virtualmente quase tudo. A agente Olívia Dunham cuida da parte investigativa e legal da série baseada no que seus cientistas loucos de plantão podem lhe provar. Conseqüência, Bishops analisam e comprovam cientificamente, fornecendo evidências para Dunham que investiga e fecha o caso, simples, direto e, repetindo, dinâmico.

O quarto quesito diferencial, ao que parece, é uma tirada cômica de J.J. Abrams com a série Arquivo X, fazendo uma espécie de sátira ao fato dos agentes Mulder e Scully demonstrarem afeto um pelo outro, ao menos de maneira física, em um beijo ocorrido somente depois de 7 temporadas!

A agente Olívia Dunham bateu este recorde sem maiores problemas, onde já é introduzida (NO BOM SENTIDO!) na série logo em um quarto de motel com John Scott, colega do escritório do Bureau onde trabalha.

Ok! Provável brincadeira de Abrams mesmo, já que se sabe que o personagem de Joshua Jackson, Peter Bishop, é o galã da série e que, agora, com Scott fora da disputa, dá ares de um possível envolvimento com Olívia posteriormente.

A última, porém mais importante característica, que separa definitivamente ambas as séries vem a seguir.

Fringe e sua “dinâmica massiva”

A série de Abrams, mesmo depois da análise anterior, pode ainda ser comparada à obra de Chris Carter em seu Arquivo X. Mas Fringe revoluciona a modalidade “série de TV” na maneira em que a trama se desenrola tanto como episódios individuais como também na temporada em si.

Para melhor ilustrar, vamos comparar a outras séries do gênero, o supracitado Arquivo X e um dos outros destaques de J.J. Abrams, Lost!

Em Lost, se eliminarmos Flashback’s e Flashfoward’s, os episódios se ligam de maneira consecutiva, parte do que podemos até mesmo dizer, cronologia. A ausência de um único episódio, poderia muito cedo ou eventualmente mais tarde, fazer falta na linha de histórias da série. Suas temporadas são um único arco de histórias que mais tarde terão outras anexadas a elas.

Em Arquivo X, se desenvolveu uma metodologia um pouco distinta. Foi criada uma espécie de mitologia da série. Os episódios poderiam ter histórias fechadas, fora da Mitologia (que se tratava de alienígenas na terra em complô com membros do alto escalão do governo) ou poderiam pertencer à mesma, correndo por fora dos episódios fechados também em certa ordem cronológica.

J.J. Abrams, em Fringe, apresenta outro modo de agir. Fringe, como já mencionado, se trata de uma divisão do FBI destinada à investigação de eventos incomuns, todas elas pertencentes a uma teoria que enuncia que as mesmas pertencem a um evento denominado como “O Padrão”.

Na verdade, podemos considerar o tal plot “O Padrão”, uma manobra eficaz de roteiro que garante à série a dinâmica que tem sido evidente a cada episódio exibido.

O Padrão, na verdade, foi usado pelos roteiristas como uma espécie de recurso, ou até mesmo como uma desculpa, que eventualmente interligará todos os episódios fechados da série.

Cada capítulo exibido é fechado, mas ainda assim parte de algo maior, possibilitando aos espectadores um pouco mais de conforto ao acompanhar a série. Isso pelo menos, foi o que sucedeu-se na 1ª temporada e possivelmente é a chave do prematuro sucesso de Fringe.

fringe_cast

Curiosidades

  • O Episódio piloto de Fringe, foi uns dos mais caros da história da televisão, equiparando-se somente ao piloto da série Lost, também de J.J. Abrams. O investimento foi da ordem de 12 milhões de dólares, gastos somente nesta apresentação da atração.
  • O episódio piloto de Fringe tem diálogos e música usados em Lost.
  • J.J.Abrams confessou que, além do já mencionado Arquivo X, teve influências de obras do escritor Michael Crichton, Altered States e Além da imaginação.
  • Kirk Acevedo, que estrela na série com seu personagem Charlie Francis, é co-criador da série ao lado de Abrams e Roberto Orci (Roteirista da franquia Transformers).
  • Fringe, assim como Lost, terá um jogo de realidade alternativa para ser jogado on-line em um site dedicado ao mesmo.
  • A série faz muitas alusões a Star Trek, culminando em uma grata surpresa para muitos fãs do velho seriado de ficção no último episódio da temporada chamado “There’s More Than One of Everything”, a presença do personagem William Bell encarnado por ninguém mais que Leonard Nimoy, o Dr. Spock da série original. Relembrando ainda que J.J. Abrams é também diretor do novo Star Trek.

Sinopses dos episódios

1 – Episodio Piloto – parte 1 (09/09/2008 – EUA)

Passageiros e tripulantes de um vôo vindo de Hamburgo tem seus corpos decompostos instantaneamente devido à liberação de um composto no interior do avião. Para estranhos eventos como este, a Segurança Nacional cria a divisão Fringe no FBI, destinada à investigação do conjuntos de fenômenos denominados O Padrão.

A NSA seleciona a agente Olívia Dunham para liderar as operações, e os cientistas Peter e Walter Bishop para o departamento de Ciência de Borda.

1 – Episodio Piloto – parte 2 (09/09/2008 – EUA)

fringe_john_scott_infectadoDurante a investigação do caso do vôo 627, o agente John Scott é exposto ao estranho composto mortal. Sem consciência e induzido ao coma para retardar o processo que o levará a morte, sua vida depende de um estranho procedimento desenvolvido pelo instável Dr. Bishop, que fará sua mente se conectar com a de sua amada, a agente Olívia Dunham, na tentativa de angariar respostas para a tão desejada solução do caso.

2 – The Same Old Story (16/09/2008 – EUA)

Mulher perde a vida ao gerar filho que cresce, envelhece e morre em questão de horas. A agente Olívia Dunham, auxiliada por Walter e Peter Bishop, fazem conexão com um velho caso do FBI que os interliga a uma série de assassinatos de jovens mulheres.

3 – The Ghost Network (23/09/2008 – EUA)

fringe_ghost_networkOutro misterioso ataque chama atenção da divisão Fringe de Investigações.

Um composto gasoso é liberado dentro de um veículo coletivo e se solidifica em questão de minutos aprisionando e matando os passageiros.

As investigações de Olívia Dunham e Cia. ligam os estranhos eventos a um jovem capaz de mentalmente receber imagens e vozes dos crimes antes mesmos de seu acontecimento.

4 – The Arrival (30/09/2008 – EUA)

Após uma explosão em uma construção de Nova York, a equipe da divisão Fringe, Olívia Dunham, Peter e Walter Bishop encontram um estranho cilindro de origem desconhecida e cuja aparição tem ligações com casos passados do FBI. Neste episódio é introduzido o misterioso personagem “O Observador”, sempre e discretamente presente nos locais onde se sucedem fatos relacionados com O Padrão.

5 – Power Hungry (14/10/2008 – EUA)

O trio de investigadores buscam informações sobre mortes ocasionadas por fortes descargas elétricas, quando as pistas os levam a um homem capaz de manipular a eletricidade, mas que não tem conhecimento ou controle de suas habilidades, representando um perigo constante. Os agentes suspeitam do envolvimento de cientistas que realizam experimentos ilícitos com cobaias humanas, sendo seu homem procurado, uma possível vitima.

6 – The Cure (21/10/2008 – EUA)

fringe_cureA agente federal Olivia Dunham, Walter e Peter Bishop investigam a morte de um grupo de pessoas em um restaurante.

Neste local, são encontradas  evidências que levam a acreditar que foram expostos a alguma espécie de radiação.

Seu maior problema?

A fonte da radiação pode ser uma mulher, possível vítima de experiências que visavam criar armas vivas ambulantes.

7 – In Wich We Meet Mr. Jones (11/11/2008 – EUA)

Um agente federal é infectado por um estranho parasita que se aloja em seu coração durante uma operação do FBI. Sua salvação depende do conhecimento de um excêntrico detento de um presídio alemão, com vínculos estreitos com os eventos do padrão, conhecido como David Robert Jones. Mas este prisioneiro somente irá ajudar mediante troca de informações. A parte difícil ficará desta vez nas mãos de Walter e Peter Bishop, que precisam extrair a informação de uma pessoa morta através de um procedimento não convencional.

8 – The Equation (25/11/2008 – EUA)

Um garoto que desenvolveu seu dom musical depois de eventos traumáticos é seqüestrado em estranhas condições. A agente Dunhan ao lado de Walter e Peter Bishop, fazem ligação com outros casos de desaparecimento de pessoas dotadas de alguma habilidade em especial. Walter se recorda de um caso parecido com um dos cientistas que fizeram parte de seu circulo de amizades chamado Dashiell Briggs, que depois de seu desaparecimento tornou-se violento e obcecado por uma misteriosa equação. Os investigadores suspeitam de que um grupo de indivíduos se apoderam destas pessoas para conseguir determinar o resultado da equação para propósitos desconhecidos.

O maior desafio agora não será para o intelecto de Walter Bishop, mas para a sua coragem, quando percebe que precisa retornar à instituição psiquiátrica em que ficara retido por 17 anos, onde pode encontrar uma pista do paradeiro do garoto e dos criminosos, dentro da mente perturbada de seu ex-colega Dashiell Briggs.

9 – The Dreamscape (18/11/2008 – EUA)

fringe_dreamscapeUm funcionário da Massive Dynamics coberto por misteriosos cortes se atira por uma janela acreditando estar sendo atacado por um enxame de borboletas. Este e outros casos com características semelhantes chamam a atenção da divisão Fringe. Walter Bishop acredita que um toxina natural possa estar sendo manipulada para ter seus efeitos maximizados, causando estranhas ilusões, que acredita-se ser a razão por trás das mortes.

Enquanto isso Olivia Dunham sofre com visões do falecido John Scott devido ao estranho procedimento que Bishop realizou em ambos para compartilhar consciências. Dunham pretende repetir o processo para apagar memórias residuais pertencentes a Scott.

10 – Safe (02/12/2008 – EUA)

Após uma série de roubos a bancos nos quais nunca se deixou rastro, um corpo transpassado em uma parede é econtrado em uma ocorrência.

O que leva Walter Bishop a acreditar que membros por trás dos recentes atos de conspiração estejam fazendo uso de uma tecnologia que os permite caminhar através de paredes, permitindo aos criminosos terem acesso a uma de suas maiores criações cientificas realizadas no passado.

Cabe à equipe impedir a quadrilha.

11 – Bound (20/01/2009 – EUA)

fringe_boundUma estranha larva gigante nasce por dentro do corpo de um homem durante um seminário em uma faculdade.

Isso acaba se revelando outra ação do grupo terrorista que vem agido nos eventos denominado O Padrão.

Olivia Dunham é seqüestrada para estranhos propósitos, mas consegue escapar com amostras da substância responsável pela nova onda de mortes bizarras.

12 – The No-Brainer (27/01/2009 – EUA)

Arquivo contendo estranhos padrões de vídeo e áudio é enviado para outros computadores fazendo com que as pessoas que o assistam tenham seus cérebros liquefeitos. Divisão fringe encontra ligações entre as vítimas, e começa sua caçada aos suspeitos.

13 – The Transformation (O3/02/2009 – EUA)

Criatura humanóide bizarra é encontrada entre destroços de um acidente aéreo, fazendo a divisão Fringe suspeitar que ela fosse a causa da queda. Olivia Dunham caça, entre os remanescentes vestígios de memória de John Scott em sua mente, informações sobre o atual incidente envolvendo uma criatura que se acredita que outrora fosse homem.

14 – Ability (10/02/2009 – EUA)

O condenado David Robert Jones foge da prisão alemã empregando o uso de um dispositivo de teletransporte, fruto da inventividade de Walter Bishop em um projeto realizado nos anos 70. Enquanto isso, nos Estados Unidos, investigadores cuidam de caso onde um agente biológico faz com que pessoas tenham seus orifícios corporais totalmente selados pela própria pele, resultante de uma rápida e desordenada atividade celular. Novamente a divisão Fringe entra em campo para a resolução do mistério.

15 – Innerchild (07/04/2009 – EUA)

fringe_innerchildCriança selvagem é encontrada por um grupo de demolição vivendo nos subsolos há muito esquecidos de uma antiga construção.

Devido à falta de oxigênio e luz, o garoto apresenta falta de pigmentação em sua derme e visão sensível à luz.

Olívia Dunham cria fortes laços com o garoto e junto a Walter e Peter, descobrem mais tarde, a existência de uma percepção sensorial que liga o garoto às atividades de um assassino serial, alvo de antigas investigações do FBI.

16 – Unleashed (14/04/2009 – EUA)

Um grupo de ativistas pelos direitos dos animais põe em liberdade acidentalmente um perigoso animal híbrido, fruto de experimentos científicos ilícitos.

Olívia Dunham e Cia. precisam caçar o bizarro animal pela cidade, responsável por algumas mortes e por infectar o agente Charlie Francis com um parasita mortal. Walter Bishop acredita que o estranho animal possa conter a salvação para o velho amigo de Olívia.

17 – Bad Dreams (21/04/2009 – EUA)

A agente Olívia Dunham sonha com o seu envolvimento em certos homicídios e depois de perceber que as mortes de seus sonhos realmente ocorreram, acredita que tais eventos sejam de sua autoria, embora sempre seja contraditada por Peter Bishop e pelas evidências. Olívia e os demais componentes da divisão Fringe descobrem que a agente possui uma estranha conexão com um indivíduo capaz de influenciar pessoas a se auto-infligirem ferimentos, de alguma maneira, somente através de suas emoções. A verdade é revelada a Olivia quando descobre que o suspeito pelas mortes tem ligação com partes obscuras de seu passado e com as antigas atividades de Walter.

18 – Midnight (28/04/2009 – EUA)

fringe_midnightQuando surge uma segunda vítima com lacerações feitas com mordidas humanas em sua coluna vertebral, entra em campo novamente a divisão Fringe, cujas investigações os levam a uma caçada pelas ruas, atrás de uma mulher infectada por uma forma manipulada de sífilis, onde a vítima precisa se alimentar das substâncias contidas no fluído espinhal humano. As investigações levam a um suspeito de trabalhar ao lado dos membros do Manifesto ZTF, grupo suspeito de estar relacionados aos estranhos eventos do Padrão.

19 – The Road Not Taken (05/05/2009 – EUA)

Mulher sofre uma espécie de combustão em plena cidade e morre carbonizada. Investigações de Olivia, Peter e Walter levam a crer mais uma vez no envolvimento do misterioso grupo do manifesto ZTF, e descobrem a possível nova vítima da tal organização. Enquanto isso, a agente Dunham começa a sofrer com breves visões de um possível futuro que acabam ajudando nas investigações. Olivia suspeita que tais atividades estejam relacionadas a Walter Bishop e a experimentos realizados quando ainda era uma criança, por um projeto do governo, que atuava sob a premissa de preparar a humanidade para uma guerra vindoura.

20 – There’s More Than One of Everything – Season Finale (12/05/2009 EUA)

fringe_william_bellUm caminhão aparece misteriosamente do nada e leva a divisão Fringe a acreditar que seu maior nêmesis, o grupo do manifesto ZTF, esteja de posse de um dispositivo capaz de abrir portais entre dimensões, onde aparentemente o líder da organização, David Robert Jones, acredita que William Bell, o fundador da Massive Dynamics, esteja escondido.

Enquanto isso, o misterioso homem conhecido pela divisão Fringe como O Observador, leva Walter a um lugar repleto de memórias, onde pode-se encontrar, ainda, um dos recursos capaz de impedir mais ações da ZTF. A Season Finale finalmente revela o rosto de William Bell e traz para o público uma aterradora verdade escondida na família Bishop.

Considerações Finais

Dada a natureza da série, seu criador, J.J. Abrams, deu algumas declarações alegando que a mesma não seria muito longa e que não tardaria muito com a explicação dos mistérios apresentados até então. Tal atitude, caso confirmada realmente a intenção de dar tal dinâmica à série, mostra que seu criador, ao lado de roteiristas e demais membros da produção, chegaram enfim, a uma maturidade que poderá ser um fator de grande notoriedade entre milhares de programas de TV do gênero, que acabaram por arcar com conclusões risíveis em resultado das delongas desnecessárias para a linha das histórias (vide Arquivo X), geralmente ocorridos em virtude da busca de um possível maior faturamento destas séries para os estúdios.

No fim, podemos estar diante de uma produção que, pela 1ª vez em décadas de existência desta modalidade de entretenimento, a famosa e acessível TV, angarie fãs cult da série, e faça com que Fringe, se torne um dos muitos clássicos a serem lembrado por futuras gerações.