Um site que não é lá.

Resenha | Jogos Vorazes: Em Chamas

1

Katniss, propositalmente, torna-se “imortal”

Antes do lançamento do primeiro filme da trilogia Jogos Vorazes, no ano passado, murmurava-se que seria fácil que os filmes fizessem um sucesso considerável. Afinal de contas, tratava-se de uma sátira de realities shows – que dominam a televisão– e que ao mesmo tempo era palatável para garotas adolescentes por conter um triângulo amoroso. Para os garotos adolescentes, continha uma temática violenta o suficiente – “inspirada”, digamos, em Battle Royale com um toque de tempero hollywoodiano.

Mas o filme em si chegou ao cinema e os preconceitos antes lançados foram ao chão. Tanto o primeiro filme quanto o segundo, Em Chamas, são adaptações de romances de Suzane Collins – como já é amplamente sabido pelo público. A história tem como palco o cenário futurista de Panam – onde um espetáculo de pão e circo, anualmente, toma dois adolescentes de cada um dos distritos subjugados à capital numa arena de vida ou morte – como forma de controle social. A primeira película nos introduziu Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), uma adolescente de 16 anos que se voluntaria como tributo no lugar da irmã. Ao início do segundo filme (spoilers, cuidado) ela é a atual campeã dos Jogos Vorazes (a tradução do termo é ruim, seria mais adequado “Jogos dos Famintos” ou “Jogos da Fome”)  e está presa numa farsa constante: há de viajar por todos os 12 pobres distritos junto de Peeta Mellark (Joel Hutcherson), seu suposto namorado e co-vencedor da 74ª edição dos jogos. Os tais jogos funcionam, de modo análogo, como um torneio de poker que você encontra na internet: todos contra todos de modo que o último que “sobreviver” é declarado o vencedor.

Catching-Fire-catching-fire-movie-33836550-1280-673

Os Power Hungers

O grande problema de Em Chamas reside aí: o roteiro acaba sendo parecido demais com o primeiro. Ao ver que Katniss influencia a revolução dos distritos pobres com sua imagem, o Presidente Snow (Donald Sutherland), líder da Capital, tem a ideia de compor uma 75ª Edição dos Jogos Vorazes de modo diferente: apenas os campeões de edições anteriores poderiam participar. Como a poster child Katniss é a única mulher vencedora pelo 12º Distrito, acaba sendo obrigatoriamente uma das participantes. O objetivo do Presidente acaba sendo claro ao longo do filme: desmitificar a imagem de Everdeen, de modo que, se no primeiro filme ela não matou dolosamente ninguém, neste teria que matar para sobreviver – com efeito, sua imagem de heroína pura ante os distritos, inflamando uma possível revolta, iria por terra.

Peeta-victory

Peeta Mellark (Joel Hutcherson)

A película tem outros problemas. Katniss, propositalmente, torna-se “imortal” –grosso modo – pelos organizadores dos jogos (de modo que todos o suspense sobre a morte ou não da personagem fica irrelevante). Não só: o filme acaba alternando de modo demasiado as sequências de drama e ação. Isso faz com que haja um desequilíbrio que não é interessante para o público.

Não só de problemas, contudo, vive o longa. Por trás de uma história aparentemente voltada para adolescentes, Em Chamas é uma grande crítica aos realities shows como um todo – difícil distinguir as cenas de Caesar Flickerman com o que vemos todo janeiro com Pedro Bial (com Big Brother) e ao modo que a sociedade está organizada economicamente (em modo de hipérbole, claro). Sumariza tal conceito uma festa, na qual os ricos da capital e Panem tomam remédios para vomitar e comer mais enquanto os 12 distritos subjugados aos mesmos passam fome.

No meio de tudo está Katniss, uma heroína como há muito o cinema não via. Complexa e humana ao mesmo tempo, interpretada por uma vencedora de Oscar. Enredo parecido com o primeiro filme ou não, a terceira película trará finalmente algo de novo – e o público pede por mais.

Veja o trailer:

  • sidnei luis fermino

    Oi adorei.. muito obrigado, me fez se
    interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor
    Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores
    dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as
    teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre
    Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e
    digite reverso…a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?