Um site que não é lá.

Resenha | O Hobbit

5

Não contém spoilers

Não sei como começar, de verdade, entenda que sou um fã de J.R.R. Tolkien e tentarei não ser um total fanático aqui, farei o possível para ser contido, mas, se quiser saber como estou me sentindo realmente, multiplique o que escrevi por 10.

Primeiro, para todos que estão com medo ou que ficou postando nas redes sociais que, devido a história, O Hobbit nunca chegaria ao nível de Senhor dos Anéis, quero mandar um sonoro CHUPA para vocês. Sim, o filme é sensacional, do nível de o Retorno do Rei, para mim o melhor filme do universo Tolkien e o melhor de Peter Jackson.

Rapidamente, muitos de vocês, Nerds ou não, que tem um pouquinho de QI, querem saber a respeito do 3D, pois bem, o 3D é bom, o melhor 3D que já vi, porém nas cenas de ação, rápidas e movimentadas, o 3D acaba borrando um pouco a imagem, falha normal e decorrente. Não está escuro, o que me fez não percebê-lo durante o filme, e, sim, senti-lo. Resumindo o 3D é muito bom, mas ainda prefiro normal, apesar de que em algumas cenas o 3D seja MARAVILHOSO.

Não vou entrar no mérito se a história está conivente com o livro, todavia, adianto que está 80% fiel, o suficiente para não estragar e ainda assim, preencher os requisitos de um Blockbuster, pode ver tranquilo que você não vai se decepcionar com a história. Pelo contrário, está muito bem contada, com alivio cômico perfeito e o principal, RITMO, o filme tem um Timing perfeito, não cansa, não para, prende a sua atenção na tela e, o principal, é muito divertido para todos. É o primeiro filme censura livre que me permite dizer em medo: realmente agradará a todos, da filhinha ao vovô.

A interpretação dos atores é IMPECÁVEL, de todos. Os anões passaram a essência do que é um anão de Tolkien, mas com a pitada obrigatória Hollywoodiana, que se faz necessária, não há nenhum demérito, pelo contrário, eu gostei mais do que vi se comparado ao que eu li.

Efeitos visuais e especiais de cair o queixo, simplesmente fantástico para um mundo fantástico, alimenta a sua fantasia e traz vida, cor, som e movimento para aquilo que até então era uma vaga memória, para mim o filme é quase poético e me fez chegar a um estado noético ao fim.

O Hobbit é impecável, a trilha sonora acompanha suas cenas, trilhas como de Valfenda, condado, o um anel, terra média, estão todas presentes, e a espetacular trilha, muito bem colocada e usada, dos anões, é simplesmente de levantar da cadeira. Sim eu levantei em pelo menos 3 cenas!

Agora meus amigos que jogam RPG, essa é para vocês, o criador do nosso clássico Dungeons and Dragons nunca admitiu, mas já falou que foi inspirado nas histórias da mitologia nórdica, para mim isso é mentira, ele quis sim fazer um jogo do Senhor dos Anéis, tanto que diz a lenda que o Halfiling só não se chama Hobbit pois os direitos do nome não foram liberados. Assistir O Hobbit te dá a clara e gostosa sensação de estar em uma mesa de D&D, você tem todos os elementos que vão desde apresentar a missão em uma taberna, que no filme é em outro lugar mas claramente com as características de uma taberna clássica, temos as diferentes classes, funções, complicação da historia trazida por outro NPC (Non Player Character ou, em português, Personagem do Mestre).

A vontade de ir direto para a mesa de RPG após o longa foi tão grande que cheguei em casa apenas às 5h, pois eu e meus amigos ficamos discutindo as características que estão claras no filme, porque parece uma sessão de jogo que foi filmada, a sensação e o desejo pela aventura é tão forte depois de ver o filme que aquilo não sai da sua cabeça e quer ir correndo mestrar/jogar algo ligado aquilo que acabou de ver.

O mundo fantástico de Tolkien nunca foi tão bem retratado nas telonas, imagens como uma simples luz do luar ou mesmo uma cena de chamado à batalha são tão bem coreografadas com ritmo e história, tão bem fotografadas, que apesar de alguns clichês, traz uma credibilidade incrível e você chora, ri, vibra e luta junto com os personagens.

O Hobbit é simplesmente o melhor filme do ano, não dá para comparar com nada que saiu nos últimos onze meses. Pare agora o que está fazendo e vá ver qual é a próxima sessão no melhor cinema possível, perto de você.

Obrigado ao Tolkien e a Peter Jackson por me fazer uma pessoa tão feliz hoje, e tenho certeza que muitas outras pessoas irão vibrar com o início desta história, estou feliz que ainda teremos mais dois filmes, se os outros forem deste nível, teremos uma linda obra da sétima arte e para todo o sempre em nossas memórias, lágrimas escorreram por minha face quando o filme acabou, lágrimas inéditas, pois eram de felicidade em ver um filme que a muito tempo precisávamos.

Que a força esteja com você, que é forte.