Um site que não é lá.

Resenha | A Vida Secreta de Walter Mitty

3

O que faz valer um ingresso ao cinema? Um bom roteiro, uma estória épica, efeitos especiais…?

Na era dos grandes blockbusters é de se notar quando um conto sobre a vida e as belezas do mundo atinge os olhos (e quem sabe até mesmo o coração do espectador) pela singeleza da narrativa. Esta nova versão de O Homem de Oito Vidas (1947) vem com o titulo de A Vida Secreta de Walter Mitty, e apesar de estar nos grandes circuitos de cinema é como um sopro de ar fresco ou a gotinha que se difere dos demais gêneros num oceano cinematográfico de efeitos especiais, explosões, atos heróicos… E ainda assim, o filme brinca com esses elementos quando o personagem título fica ‘fora do ar’.A-Vida-Secreta-de-Walter-Mitty-02set-2013-04

Aqui, como diretor, Ben Stiller incorpora um estilo indie ao falar com o espectador nesta comédia de fantasia com trilha sonora que pode soar intimista em momentos edificantes sobre sair da inércia.  A canção Space Oddity de David Bowie gruda na mente como chiclete ao vermos Stiller correndo em slow motion quebrando a tal inércia que o mantinha cativo. É só isso nos 114 minutos: levante a sua bunda do sofá e vá viver!

Conheça Walter Mitty (Stiller), um grande sonhador que trabalha no prédio da Life como laboratorista de fotografia. Um cara normal com família, contas a pagar, que sonha bastante acordado e fica na tentativa de dar uma ‘piscadinha’ num site de relacionamento para seu interesse amoroso, e colega de trabalho, vivida por Kristen Wiig. Com a vida um tanto solitária e presa na rotina diária, Walter descobre que a revista Life está  prestes a ser fechada e passará somente a existir como website, o que irá gerar demissões iminentes. Não só isso, o personagem título recebe negativos do famoso fotógrafo Sean O’Connel (Sean Penn) e é desejo do fotógrafo que o negativo vinte e cinco seja a capa da edição derradeira da revista justamente por esse fotograma representar a quintessência da vida. O problema é justamente a ausência dessa foto, fazendo com que Walter saia não somente em busca de Sean visitando as mais belas paisagens do planeta a fim de reaver a imagem, mas também fica imerso de mente, corpo e alma numa jornada de auto descoberta que irá mudar a própria vida.

…Tudo soa como uma espécie de “product placement” o qual o produto a ser desejado e vendido são as aventuras, a jornada pelo saber, a busca pelo amor, e claro… A vida.

A-Vida-Secreta-de-Walter-Mitty-02set-2013-02

O filme tem a pegada motivacional que pode soar piegas ou clichê com por do sol e mais câmera lenta desencadeando um estado de purificação no clímax. Mas a ‘pureza’ do personagem em se conhecer, a aproximação que o roteiro tenta estabelecer com o interlocutor, ou as belíssimas topografias da Islândia são tão cuidadosamente bem filmadas que a vontade é de comprar a idéia do filme. Sim, entenda, tudo soa como uma espécie de product placement o qual o produto a ser desejado e vendido são as aventuras, a jornada pelo saber, a busca pelo amor, e claro… A vida. A fita serve de um ótimo cartão postal, ou melhor… Um comercial de viagens durante a programação de TV por assinatura. Mas ao final será do seu discernimento se vai se deixar levar pela boa sensação ofertada despudoradamente já nos primeiros minutos de projeção. Caso goste de vídeos ou filmes motivacionais como Filtro Solar, Curtindo A Vida Adoidado, Tudo Acontece em Elizabethtown e A Vida É Bela, vai encontrar aqui, talvez, mais um para a sua coleção na prateleira… Pode encontrar um filme feito para você!

.

.

.

Trailer:

  • FrankCastle

    Bem legal! Não costumo ver trailers, mas acabei vendo esse numa daquelas propagandas de Youtube e fiquei interessado. Devido a baixa cultura e educação do pessoal nas salas e Cinema, estou receoso, mas com certeza verei este filme, mesmo que seja em home vídeo. Realmente, o cinema está precisando de filmes assim, ele me fez lembrar vagamente o “Antes de Partir”

    • FrankCastle

      PS: Só o fato de ter Space Oddity na trilha já é um ótimo motivo, curto muito essa música!

  • Filipe MacLeod

    Muito bom